terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Minhas impressões - Bruxos e bruxas 2 - O dom - James Patterson e Ned Rust


Segundo livro da série Bruxos e bruxas. O primeiro é Bruxos e bruxas (aqui).

Whit está a procura de Wisty, e descobre que ela está prestes a ser executada pelo Único, mas ela a aprece perto dele e diz que quem foi executada em seu lugar foi uma amiga deles, Margô.
Wisty e Whit vão com alguns resistentes até um dos prédios da Nova Ordem, onde crianças são feitas escravas de linha de produção, para tentar salva-las. Depois disso, Wisty vai cantar em um Festival de Música da Terra Livre, e nem imagina o perigo que corre ao confiar demais em quem não deveria. Ela e seu irmão acabam precisando enfrentar o Único cara a cara. Os irmãos conseguem fugir, descobrem que Byron ainda trabalha para o Único, apesar de parecer sempre querer ajuda-los.
Eles atravessam um portal e vão para a Terra das Sombras, onde Whit tem visões de Célia, que passa a incentiva-los a se entregarem ao Único.
Whit e Wisty acabam capturados e encontram seus pais no complexo da Nova Ordem em que estão prisioneiros. Seus pais também falam coisas confusas a eles, como se quisessem que se entregassem ao inimigo. Os dois acham muito estranho, e Byron consegue ajuda-los a sair de lá, e eles voltam à Terra Livre. Mais uma vez eles confrontam o Único, e tudo parece estar perdido.

Não lembro de já ter lido um livro tão confuso assim. Foi difícil acompanhar tantas entradas e saídas em prédios da Nova Ordem, entre capturas e entradas em missão. Por outro lado, os dois foram aprimorando sua magia, mas ainda não entenderam que raios o Único quer com eles, porque aparentemente não é mata-los, já que teve várias oportunidades para isso e não o fez. Quero ler os outros dois livros para saber o que vai acontecer, e só resta torcer que não sejam tão confusos quanto esse.



Nome: Bruxos e bruxas 2 – O dom
Autor: James Patterson e Ned Rust
Editora: Novo Conceito
Sinopse:
Os irmãos Allgood nunca desistem de lutar contra os poderes autoritários e desumanos d’O Único Que É O Único, mas, agora, eles estão sem Margô — a jovem e atrevida revolucionária; sem Célia — o grande amor de Whit; e sem seus pais — que provavelmente estão mortos...
Então, em uma tentativa de esquecer suas tristes lembranças e, ao mesmo tempo, continuar seu trabalho revolucionário, os irmãos vão parar em um concerto de rock organizado pela Resistência onde os caminhos de Wisty e de um jovem roqueiro vão se cruzar. Afinal, Wisty poderá encontrar algo que lhe ofereça alguma alegria em meio a tanta aflição, quem sabe o seu verdadeiro amor...
Mas, quando se trata destes irmãos, nada costuma ser muito simples e tudo pode sofrer uma reviravolta grave, do tipo que pode comprometer suas vidas.
Enquanto passam por perdas e ganhos, O Único Que É O Único continua fazendo uso de todos os seus poderes, inclusive do poder do gelo e da neve, para conquistar o dom de Wisty... Ou para, finalmente, matá-la.
Imagem e sinopse: http://www.editoranovoconceito.com.br/livros/dom-o/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...