quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Minhas impressões - O despertar do príncipe - Colleen Houck

***Livro enviado pela Editora Arqueiro, parceira do blog***


Primeiro livro da série Deuses do Egito.
Lilliana Young (Lily) tem 17 anos e tinha tudo para ser uma patricinha mimada: seus pais são muito ricos, ela é filha única, tem tudo do bom e do melhor e mora com os pais em um andar inteiro de um luxuoso hotel em Nova York. Ela precisa seguir algumas regras definidas pelos pais para poder tem um pouco de liberdade: precisa ir muito bem na escola, frequentar encontros sociais que eles consideram adequados, andar com pessoas que eles aprovem, ir para uma faculdade que esteja de acordo com os padrões deles. Mas ela é bem consciente de sua situação e não se aproveita disso. Ela é uma garota comum, apesar de tudo, e tem alguns sonhos que não condizem muito com o que os pais querem: ela é fascinada por estudar e analisar as pessoas, mas sabe que psicologia não é uma opção de carreira que seus pais aceitariam. Ela tem livre acesso ao Museu Metropolitano de Arte de Nova York (Met), porque seus pais são colaboradores do espaço. Ela é bem conhecida por lá, e passa muito tempo analisando as pessoas que circulam pelo local. Ela vai ao museu em uma certa manhã, aproveitar o espaço e o silêncio para analisar as opções de faculdade que poderiam agradar tanto a ela quanto a seus pais, antes de participar de um almoço com três colegas de escola atendendo a um pedido de seu pai. 
O que Lily não imaginava era que um dia tão corriqueiro e uma simples visita ao museu fossem virar sua vida de cabeça para baixo e lhe lançar em uma aventura incomparável: enquanto ela está analisando os folhetos de universidades na ala Egípcia do museu, que está bloqueada para que sejam expostas novas peças, ela dá de cara com um sarcófago vazio e com uma figura muito estranha, que não fala sua língua e que parece ter vindo direto do Egito, pelas vestimentas que está usando. Ela fica intrigada com esse homem, ainda mais quando ele entoa algumas palavras e de repente está falando a língua de Lily sem dificuldades. A curiosidade dela aumenta quando ele, que se apresenta como príncipe Amon, diz a Lily que precisa da ajuda dela. Demora um pouco, mas logo Lily percebe que não tem alternativa a não ser acompanha-lo na busca pelos irmãos dele, no Egito, já que ele afirma que se conectou à energia vital dela para permanecer vivo, e ela percebe-se realmente conectada a Amon. Lily, escondida dos pais, vai ao Egito com Amon, e lá eles começam a procurar pela tumba dos irmãos dele, para realizar a tempo um ritual que salvará a Terra do deus obscuro Seth por mais mil anos. Apesar das circunstâncias nada normais dessa perigosa aventura, Lily não perde o bom humor, e ainda corre o sério risco de se apaixonar perdidamente por esse príncipe egípcio com quem está dividindo sua força vital. 
É uma história cheia de perigos e magia, e a ligação entre Lily e Amon também é certamente mágica: ela começa a ter sonhos e visões com situações egípcias, ao passo que ele consegue ler seus pensamentos e entender muitas coisas da atualidade através da mente dela. 
Juntos, Lily e Amon aventuram-se pelo Egito em busca de Asten e Ahmose, e para encontra-los vão contar com a ajuda de Osahar Hassan, um egiptólogo que tem a missão de proteger os três irmãos. Mas os quatro homens parecem esconder alguma coisa de Lily durante a jornada, o que a deixa muito curiosa e intrigada sobre o que realmente está acontecendo. Só que não há muito tempo para explicações, já que eles estão constantemente lidando com as armadilhas do deus obscuro, que tem por objetivo impedir a realização da cerimônia milenar que o manterá preso. 
As batalhas que eles enfrentam são terríveis, e um final feliz nem sempre é uma opção, porque para algumas coisas darem certo, outras precisam terminar não muito do agrado de todos. 
Durante toda a aventura, os irmãos mantém o bom humor, e ficam provocando um ao outro, sobretudo sobre a presença de Lily entre eles. Amon é o mais sério deles, Asten o mais convencido, e Ahmose é sério e divertido ao mesmo tempo. 
O livro é dividido em três partes, e cada uma delas inicia-se com uma narrativa da época do príncipe Amon, que esclarece o que houve naquele tempo com os três príncipes. As demais narrativas são feitas por Lily. 
O bom é que tem continuação, então vou esperar ansiosa o lançamento de "O coração da esfinge"! Esse foi o primeiro livro que li da Colleen Houck, e adorei!!!


Arquivo particular

Nome: O despertar do príncipe
Autora: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Sinopse:

O despertar do príncipe é o primeiro volume da aguardada série Deuses do Egito, uma aventura fascinante que vai nos transportar para cenários extraordinários e nos apresentar a criaturas fantásticas da rica mitologia egípcia. Colleen Houck é autora de A maldição do tigre, série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil. Liliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade. Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos. A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, para salvar a humanidade do maligno deus Seth. 

Texto extraído do arquivo enviado pela editora

Um comentário:

  1. Que legal que você gostou do livro. é esse que tem o autógrafo agora, né? Pela sua resenha o livro não me chamou muito a atenção. Acho que vou deixar passar.

    Beijos

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...