segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Minhas impressões - Proteja-me - Juliette Fay

A vida de Janie vira de ponta cabeça quando perde seu marido em um acidente de trânsito. Ela fica sozinha com duas crianças pequenas, e fica tão absorvida em seu luto que não consegue entender como a vida pode continuar sem Robby. Em seu coração ela sente que o mundo parou naquele dia e nada pode ser feito a respeito. Ela sente raiva por tudo e por nada, e mesmo aqueles que se aproximam para ajudá-la, sentem a intensidade de sua revolta interior.
No começo do livro, apesar de sentir pena dela pela sua situação atual, e concordar em alguns momentos com sua apatia pela vida, me deu vontade de dar um chacoalhão nela, para acordar desse sonambulismo existencial em que ela se encontrava. Enfim, algumas coisas foram acontecendo, e trazendo Janie novamente à vida em si. Tug,o empreiteiro responsável por construir a varanda que seu marido havia encomendado algum tempo antes do acidente, começa a ser presença constante nos seus dias, e rapidamente se entrosa com o filho dela de 4 anos, Dylan. Sua tia Jude, que é como uma mãe para Janie desde sempre, providencia para que o pároco da região, Jake, faça visitas semanais à sobrinha, para tentar tirá-la de seu casulo emocional.
O tempo vai passando, e Janie começa a conviver mais com outras pessoas, além do círculo familiar. Sua vizinha Shelly, que a ajuda com as contas, e Heidi, mãe de Keane, amiguinho de escola de Dylan. A mãe de Janie, Noreen, vem para o 5º aniversário de Dylan, e se intromete na amizade dela com o padre Jake, deixando-a muito chateada, pois parecia a ela que ele era a única pessoa que a compreendia. Novamente Janie se fecha em seu casulo, espantando todo mundo, inclusive Tug, que ainda não havia terminado a sua varanda. Ela percebe que está completamente sozinha quando Carly dá seus primeiros passinhos e ela não tem para quem ligar para contar, já que afastou todos de sua vida. Então, resolve consertar as coisas, uma por uma, com cada um. Tudo volta ao normal, e sua varanda continua a ser construída. A varanda fica pronta, mas nem ela, nem Tug estão dispostos a quebrar o vínculo e a amizade que se instalou entre eles. Aí surge a necessidade de quebrar outras barreiras um pouco mais profundas que existem no coração e na vida de Janie.
Essa leitura demorou um pouco para me conquistar, mas valeu a pena persistir um pouco mais.

http://www.saraiva.com.br/proteja-me-4365754.html

Nome: Proteja-me
Autora: Juliette Fay
Editora: Novo Conceito

Sinopse
Quatro meses após a morte do marido, Janie La Marche continua tomada pela dor e pela raiva. Seu luto é interrompido, no entanto, pela chegada inesperada de um construtor com um contrato em mãos para a obra de uma varanda em sua casa. Surpresa, Janie descobre que a varanda era para ser um presente de seu marido — tornando-se, agora, seu último agrado para ela. Conforme Janie permite, relutantemente, que a construção comece, ela se apega aos assuntos paralelos à sua tristeza: cuidando de seus dois filhos de forma violentamente protetora, ignorando amigos e família e se afundando em um sentimento de ira do qual não consegue se livrar. Mesmo assim, o isolamento autoimposto de Janie é quebrado por um grupo de intervenções inconvenientes: sua tia faladeira e possessiva, sua vizinha mandona, seu primo fofinho e até Tug, o empreiteiro.
http://www.saraiva.com.br/proteja-me-4365754.html

2 comentários:

  1. Tem livros que valem a pena insistir. O difícil é quando a gente insiste e só perdeu tempo. Vou dar um voto de confiança pra esse.

    Beijos

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...